segunda-feira, 7 de abril de 2014

Dica de leitura: Como ter uma vida normal sendo louca

Depois que finalmente pude começar a ler meus livros com calma, não consigo parar mais. Fiz uma pequena compra para tirar o atraso e um dos que comprei foi: Como ter uma vida normal sendo louca escrito pela Jana Rosa e Camila Fremder. O título sozinho já chamou minha atenção e quando soube que a Camila, que assina uma coluna bem legal na Glamour era uma das autoras, não pensei duas vezes e comprei pois sabia que coisa boa ali tinha.

Marquei as tiradas mais legais para dividir com vocês

O livro é na verdade um manual para ajudar você a sair das situações mais inusitadas e hilárias possíveis. Tudo é muito a cara do que vivemos hoje e as situações se parecem muito com o que nós que estamos chegando aos trinta vivenciamos. "Como parecer intelectual", "Como viver no cheque especial", "Como ser solteira e ser respeitada pela sociedade" .Mais ou menos como uma auto ajuda as avessas. Adianto logo que você precisa realmente ter senso de humor para concluir a leitura sem nenhum tipo de complexo. Eu sinceramente passei ilesa e estou já indicando para todo mundo! As meninas são super afiadas e tem o tipo de senso de humor que eu adoro. 




É uma leitura leve, descontraída e que garante boas risadas. Outras coisa que gostei no livro é quem em tempos onde as pessoas se dizem certinhas demais, politicamente corretas demais, cheias de discursos prontos, elas fazem piada disso tudo de um jeito que ninguém vai precisar processar no fim. 
Li, gostei e indico. :)

Beijos e até a próxima.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Finalmente, APROVADA!

É engraçado como são as coisas da vida e como o tempo é capaz de nos transformar. Formada há quase quatro anos, eu comecei a trabalhar antes mesmo de receber meu diploma, e mesmo que eu já trabalhe desde os meus 18 anos, quando você atua naquilo que se formou, é diferente. Os desafios são outros e as responsabilidades são maiores. E nesses quatro anos de trabalho eu me questionei sobre muita coisa. Entre elas se eu realmente tinha escolhido a profissão e o emprego certo. E junto com esses questionamentos começaram as pressões, tanto interna (que para mim é a pior de todas) quanto externa. Fiquei muito tempo pensando o que eu deveria fazer, se deveria continuar ali e ficar no que me era tão conveniente ou começar do zero e tentar outra coisa. Decidi fazer outra coisa, não mudando os rumos da profissão, mas procurar algo em que eu pudesse finalmente sair da zona de conforto e começar uma nova vida. Quem me conhece bem sabe da minha sede de independência, e por mais que muitos falem que eu já era independente, não fazia sentido pra mim ainda continuar morando na casa dos meus pais. Sim gente,  eu sou um pouco como os americanos. Não que não seja legal morar com os pais, mas levantar asas é preciso. E foi ai que tomei uma decisão.

Estudar para um concurso público. 

Adianto a vocês que estudar para concurso público nesse momento de concorrência ferrenha e desleal é uma das coisas mais insanas que uma pessoa pode fazer. É frustrante, angustiante e muito, muito cansativo. Comigo pelo menos, existiram mais momentos em que pensei em desistir do que continuar. 


Então, mais ou menos em setembro do ano passado comecei a estudar pesado para alguns concursos abertos e fui pegando o ritmo aos poucos, quase lentamente, e o que não poderia ser pior: sozinha. Sem cursinho, sem professor. Não sabia muito bem como era voltar a ter uma rotina de estudos, tive que me educar e ter disciplina. Isso mesmo, aquela palavrinha mágica: DISCIPLINA. Mas eu queria muito, queria mais do que qualquer coisa passar e ter meu nome na lista dos aprovados. Fiz três concursos e não passei em absolutamente nenhum. Não queiram imaginar um momento pior do que corrigir um gabarito e ver que não se atingiu ao menos o ponto de corte. O sonho acaba ali mesmo e você não pode fazer absolutamente nada, apenas chorar como eu fiz uma vez.  Mas não fazia sentido parar naquele momento. 


E foi ai que as coisas começaram a acontecer. Estudei, deixei algumas coisas de lado (inclusive o blog), fui chata com muita gente (que inclusive peço desculpas agora), aprendi que ninguém nunca vai entender que você não vai, não quer e não pode porque está com uma matéria para revisar. É a vida. 
E no quarto e último que foi o que eu quase pensei em desistir, por tantas decepções juntas foi que a boa surpresa veio. Eram dezenove vagas eu fui aprovada em oitavo.


Desde o momento em que saiu o resultado, passou muita coisa na minha mente. Você aprende que as coisas simplesmente não irão acontecer de uma hora para outra, você simplesmente tem que ir lá e fazer, ninguém vai aprender por você. Como falei, concurso público é uma coisa insana, cruel , bastante desanimadora e faz você questionar todo o seu potencial, como aconteceu bastante comigo. Mas pelo tamanho da luta a gente consegue imaginar o tamanho da vitória. 

Estou compartilhando essa notícia com vocês, que já estão há tanto tempo comigo, com muita alegria e satisfação. Se alguém assim como eu se decidiu aventurar por esses caminhos, não tenha dúvida, VALE A PENA. Não desista no primeiro, vire noites, deixe a saída da sexta de lado, dê o melhor de si que eu garanto que o resultado chegará em breve!

E passada a euforia, vem o frio na barriga. Outro estado, cidade nova (sem ninguém da família por perto), o medo do novo, novas pessoas, novos desafios e uma nova vida. Irei começar do zero. 

Me desejem boa sorte!

domingo, 30 de março de 2014

Testei: Shampoo e condicionador Matrix

Uma das minhas marcas favoritas de produtos profissionais para cabelo é a Matrix. Já uso há um bom tempo e sempre que retoco minha definitiva compro alguns produtos para manter o liso por mais tempo. Dessa vez resolvi variar e no lugar da linha Opti Liss (o melhor cheiro), decidi pela linha Bioloage Repair Inside que é feito à base de soja e produzido no Brasil.



Esses dois produtos são o primeiro e o segundo passo do tratamento que conta também com máscara e leave in. Segundo o fabricante ele repõe a matéria da fibra capilar que perdeu massa devido aos severos danos causados pela química como a decapagem e o alisamento. Ele reconstrói a fibra capilar internamente selando suas cutículas, além disso é sustentável pois utiliza a soja de cultivo orgânico além da sua produção consumir menos água.  E sobre o que eu achei, bem, confesso que prefiro a da linha Liss Care a esse, porém é um bom produto para quem tem química no cabelo como eu. O cabelo fica brilhoso, soltinho e desembaraça fácil. Como meu cabelo perdeu muita massa devido a continuidade das definitivas, acredito que só se eu parar definitivamente de fazer para um dia ele voltar a ser volumoso como antes, não acredito que um shampoo e um condicionador possam resolver isso. 
No geral eu gostei do kit, realmente faz a diferença se comparado aos de supermercado. O preço? R$80 (os dois).

E vocês, o que andam usando no cabelo? 


quinta-feira, 27 de março de 2014

Decorando sua casa sem gastar quase (ou) nada!

De uns tempos para cá venho me interessando cada vez mais por decoração. Como é legal imaginar um cantinho só seu, tudo do seu jeito, com seu toque e personalidade né? Quem é noiva (eu? ainda sou tá gente, mas caso já rsrsrs) sabe a delícia que é imaginar a decoração da sua casa. Eu ando cada vez mais envolvida nisso e já separei várias fotos nas minhas pastinhas de inspirações. 

Acho que para decorar uma casa, tudo tem que ter a ver com o estilo de vida do casal ou de quem mora só. Do que adianta você fazer um espaço que não vai usufruir né? Todo centímetro é valioso pois os apartamentos hoje em dia são quase um cubículo. Se vira no 60m² :)

Pensando nisso, resolvi faze um post não falando sobre como otimizar o ambiente, afinal não sou nenhuma especialista no assunto, mas sobre como você pode decorar seu espaço sem gastar praticamente nada. Sim gente, é possível dar outra vida ao ambiente sem gastar todas as suas economias na Etna mais próxima. Vejam o que preparei para vocês e me digam :)


Perfumes :) Até já dei essa dica por aqui, mas vale a pena repetir. Basta pegar alguma bandeja ou suporte e colocar seus perfumes em cima de algum lugar de destaque. Acho chic e super prático! 


Velas. De uns tempos pra cá criei uma certa fixação por velas. Acho que em toda minha casa terão velas perfumadas. Fica o máximo decorar a mesa de jantar com velas espalhadas. Essa da foto você não vai precisar de nada além de recipientes e fitas coloridas.


Garrafas de vinho. Você recebeu seus amigos, decorou a mesa com velas e tudo mais e as garrafas de vinho que deixaram você de ressaca estão dando sopa, quase indo para o lixo. O que fazer com elas? Um vaso, ou abajur, como na foto. Vi isso na casa de uma amiga (vaso) e achei super sofisticado. 


Essa talvez é a dica mais polêmica de todas. Seria um desserviço muito grande comprar um livro apenas para decorar né? Eu acho o cúmulo da futilidade, porém, contudo, todavia se o livro já foi lido, o que há de mal colocá-lo como um item decorativo? Geralmente os livros de moda e estilo tem um design bem legal que ficam ótimos para serem colocados em centros ou criado mudo. 



Viu como dá para mudar o ambiente com pouco ou quase nada? Quem tiver mais dicas e quiser compartilhar nos comentários fique à vontade. Vou adorar!
Beijos e até a próxima!

quarta-feira, 26 de março de 2014

Resenha: Cheio de Charme de Marian Keyes

No meu aniversário, ganhei de presente dois livros, e um deles foi  “Cheio de Charme” da escritora irlandesa Marian Keyes. Pessoalmente, e de uma maneira bem particular, acho ela uma das melhores escritoras da atualidade. Me identifico muito com seus livros, que seguem um pouco a linha Bridget Jones. Gosto da fórmula bem humorada que ela usa para fugir dos clichês literários que estamos acostumados. Um exemplo disso é que já vi dois ou três personagens de seus livros serem alcoólatras, mas sem estereotipar. Há personagens que passam por conflitos, chegam ao fundo do poço, mas isso é passado com tanta leveza e bom humor que você acaba criando uma certa empatia.


Cheio de Charme foi o seu décimo livro lançado no Brasil, e um dos maiores escritos por MK até hoje. Ele conta a história de três mulheres, cada uma bem diferente da outra, mas com uma única coisa em comum, Paddy de Courcy. Paddy, sociopata e político influente da bancada da Nova Irlanda anuncia seu casamento e causa uma comoção tremenda na vida da jornalista Gracie,  da alcoólatra não assumida Marnie e da consultora de estilo Lola. Aos poucos as peças se encaixam e você vai percebendo que tudo está mais interligado do que parece. 


A temática da violência contra mulher é nitidamente tratada no livro, mas com falei, sem clichês e esteriótipos. Outra coisa que me chama muito a atenção e quem puder me confirme, parece que todas as pessoas dos livros de MK querem sair da Irlanda e morar em Londres. Realmente acontece isso na vida real? Todo irlandês na verdade quer ser inglês? 

Enfim, indico a leitura para quem gosta desse estilo de leitura. Vale a pena, como qualquer um da MK. Recentemente recebi Chá de Sumiço e não vejo a hora de começar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...